O descanso do Guerreiro

Na quietude revolta do ser, procura a paz desassossegada, difícil de encontrar, porque na imensidão deserta entre o tudo e o nada, predomina a penumbra fria, gélida, que dificulta vislumbrar o Norte.
Caminha, descalço, mas convicto da direção. Entre calosidades e a pele consumida pelas agruras do caminho, as pedras já não magoam, parecem o mais fino soalho da mansão onde vai descansar no final da jornada.
De quando, em quando, aparece uma estrela com mais candelas. É ela, diz sorrindo. Apressa o passo, mas ao passar o monte depara-se com um novo vale, enorme, rodeado de montanhas que ocultam de novo a Sua Estrela. Pára, passa a mão pelos cabelos grisalhos, onde uma gota de suor, frio, teima em rolar pela face ressequida. Respira fundo, aquela dor nas costas está mais intensa...ajeita a gola da camisola rasgada, como se quisesse abafar-se daquele frio que lhe aquece a esperança e volta a caminhar.
A sua intuição levava-o naquela direção, nada o fazia desistir de encontrar a sua estrela, nem mesmo o cantar dos pássaros entoando as suas melodias, coisa que outrora o deixava encantado sabendo mesmo os nomes de todas as espécies.
Mas eis que aquela terrível dor nas costas voltara, mais intensa ainda, obrigando-o de novo a parar, respira fundo, e murmura: Oh meu Deus!
Do caos, do alto, olhava ávido, o firmamento infindo. Para onde a paz? Onde a ponta azulada da agulha do Norte?
Há muito sem sapatos, os pés já não lhe faziam sentir os aduncos agudos acúleos da jornada...sabia: Não desistir, NUNCA...forçoso continuar...o magnético da agulha empurra-o par N...pra' li...é acolá...finalmente o fim, o remanso da jornada terminada, o solo é já suave...PAZ... ia tê-la, vê-la, senti-la...valera a pena.
Desenha-se uma estrela...ci-la... é só mais um esforço...estás a vê-la? A tua ESTRELA! Não, não mais montanhas..., não mais tormentos, nele e no solo, não mais dores. Planícies verdejantes, somente...e a PAZ!... Sossega então! O fim está próximo.
O DESCANSO DO GUERREIRO... e ele merece-o... O seu sossego, a sua paz a sua estrela...Olha-a sorrindo.
É linda a minha ESTRELA. OBRIGADO!

"Fernando Lopes Rosa"

Aluno da Unisseixal – Disciplina “Psicologia do desenvolvimento"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *